Tocando Agora:Rede Piauí de Notícias
Redação Rede Piauí EDITOR CHEFE
Anderson Soares COMERCIAL
WhatsApp CONTATO/SUGESTÕES (86) 99494-2468
Geral Por: Ryan Andrade Repórter 29 Mai 2018 13:38 Rede Piauí de Notícias

Litro da gasolina está sendo comercializado a R$ 5,00 em Teresina, diz Procon

Primeiro dia após o encerramento da greve, o preço do litro do combustível subiu em postos da capital.


O preço do litro da gasolina comercializado nos postos de Teresina ficou mais caro depois da greve dos caminhoneiros. Desde a noite desta segunda-feira (28), os condutores teresinenses enfrentam um verdadeiro desafio para garantir o abastecimento do seu veículo encerrada a paralisação que já durava 8 dias.

Apesar do preço dos combustíveis terem sido a principal reivindicação dos manifestantes, o preço da gasolina subiu em média 13% em relação ao valor verificado antes das paralisações. Segundo Arimateia Leão, chefe de fiscalização do Procon, há estabelecimentos na capital comercializando o litro da gasolina a R$ 5,00. No início da semana passada, o valor médio era R$ 4,40.

gasolina
Imagem ilustrativa. (Foto: Internet)


Alexandre Cavalcante, presidente do Sindicato dos Donos de Postos de Combustíveis explica as razões do aumento: “A gasolina é misturada com o etanol, num percentual de 27% de etanol e 71% de gasolina. Em virtude do desabastecimento, e para atender a esta situação emergencial, esse percentual foi mudado para 21% de etanol e 70% de gasolina, que é bem mais cara. Isso está interferindo nos preços das distribuidoras”, relata o sindicalista.

Cavalcante explica também que os preços devem voltar a normalizar conforme os caminhões carregados de etanol cheguem aos postos e haja uma regularização dos percentuais de mistura.

Até o fim desta terça-feira, o Sindicato dos Donos de Postos estima que 10% dos estabelecimentos estarão completamente abastecidos. Uma operação de contingência está sendo montada para agilizar o reabastecimento dos postos. Caso tudo transcorra dentro do planejado, em uma semana o problema estará sanado.

O Procon também promove uma série de fiscalizações para verificar se os preços cobrados pelo litro dos combustíveis estão sendo abusivos.




Deixe seu comentário: