Tocando Agora:Rede Piauí de Notícias
Pedro H. Santiago EDITOR CHEFE (86) 98882-0261
Anderson Soares COMERCIAL (86) 99965-4448
WhatsApp CONTATO/SUGESTÕES (86) 99860-1464
Polícia Por: Redação Rede Piauí Repórter 17 Jun 2018 10:34 Rede Piauí de Notícias

Preso, ex-oficial acusado de matar Camilla Abreu continua recebendo salário

Defesa cobra celeridade da Justiça e expulsão do ex-oficial dos quadros da Polícia Militar.


--------------------

Quer morar em apartamento com 3 quartos na zona leste de Teresina e pagar apenas R$ 580,00 por mês através do Plano Certo garantido pela Caixa? Conheça o HIBISCO. Clique aqui e faça seu cadastro gratuitamente e receba atendimento especializado.

--------------------

A defesa da família de Camilla Abreu, através da advogada Ravena Castro, informou que o processo de expulsão do ex-oficial da Polícia Militar, Alisson Wattson, acusado de matar a jovem, deve ser julgado pelo Tribunal de Justiça do Piauí para, em seguida, ser publicado no Diário Oficial do Estado.

Alisson Watson e Camilla Abreu namoravam a oito meses
Camilla Abreu e Alisson Watson (Foto: Arquivo pessoal)

De acordo com a advogada, o processo está na última fase e já foi distribuído no TJ-PI. O caso será julgado pelo desembargador José Francisco do Nascimento, mas a pauta ainda não foi determinada pelo tribunal. “Na segunda-feira vamos tentar nos reunir com o relator do caso e pedir a pauta de julgamento”, informou a defesa.

O processo passou pelo governador Wellington Dias que o encaminhou à Procuradoria para avaliar o caso. Agora deverá ser julgado pelo TJ-PI dentro dos próximos meses. A defesa espera que até agosto o caso seja julgado para que seja acompanhado apenas o processo na área criminal.

O pai de Camilla, Jean Carlos Abreu reclama da demora no julgamento e cobra celeridade Justiça: “Já teve outros casos de militares que mataram mulheres e teve algum andamento, o nosso caso vai fazer oito meses e até agora nada foi resolvido, ele não foi expulso ainda. Estamos aguardando pra depois que for julgada a expulsão dele ser marcada a data do júri. Mas creio que não demore mais não”, avalia. 

Enquanto isso, o ex-oficial, Alisson Wattson, está preso no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar recebendo salário como funcionário da corporação. Caso o julgamento decida pela expulsão de Alisson, ele perderá a patente e deverá ser encaminhado para presídio comum.

Com informações do Cidade Verde



Deixe seu comentário: