Tocando Agora:Rede Piauí de Notícias
Redação Rede Piauí EDITOR CHEFE
Anderson Soares COMERCIAL
WhatsApp CONTATO/SUGESTÕES (86) 99494-2468
Polícia Por: Redação Rede Piauí Repórter 19 Abr 2018 14:28 Rede Piauí de Notícias

Quadrilha realiza arrastões no centro de Teresina

Os casos são rotineiros e estão deixando a população assustada


Um grupo de lanceiros conhecidos como ‘Coiotes’ está agindo com frequência no centro de Teresina. De acordo com informações, os bandidos seguem e cercam uma suposta vítima, simulam uma situação em que precisam se abaixar e quando o pedestre fica encurralado no meio do grupo, os seus pertences são roubados.

Segundo testemunhas, os casos são frequentes nas paradas de ônibus. “Aqui aparece sempre, principalmente mulheres, ontem mesmo roubaram um casal de velhinhos, aproveitam o aglomerado de pessoas, metem a mão no bolso, abrem bolsas, é sempre o mesmo grupo”, afirmou.

De acordo com o coronel Márcio Oliveira, comandante geral de operações, as pessoas devem ficar atentas para esse tipo de ato. “Nós fazemos o controle e o monitoramento desses indivíduos. Todas as vezes eles agem da mesma forma, eles se aproximam em grupos de coiotes, identificam um provável alvo, pode ser mulheres, idosos, jovens e levam objetos de valor, na maioria celulares, bolsas. Recomendamos que as mulheres levem a bolsa na frente do corpo, observem sempre e olhem 360 graus, nossos policiais estão espalhados em todos os cantos, estamos fazendo rondas, mas temos que inibir por nós mesmos. Quando idosos estiverem em bancos, é bom sempre estarem acompanhados de outras pessoas, não parem para nada, não dê atenção para pessoas que pedem informações e no caso de ataque é ligar 190”, afirmou.

Arrastão na Capital
Quadrilha de assaltantes/ Credito:PortalMN

Ainda de acordo com o coronel, os criminosos não usam violência para cometer os crimes. “Eles praticam pequenos delitos, não usam de violência nem armamento, na realidade é o descuido das pessoas, são presos sempre pela polícia militar, mas o policial faz uma prisão e quando retorna para o mesmo local estão lá as mesmas pessoas, o mesmo lanceiro, o mesmo coiote. É necessário que a gente faça esse controle, não temos somente no centro, mas em outros lugares, sempre que nós flagramos temos êxito em identificar porque os nosso policiais já conhecem todos que agem na região. São levados, detidos, mas são soltos, os policiais sabem até onde eles escondem os produtos furtados, é bom as pessoas sempre estarem atentas”, finalizou.

*Reportagem: Welligton Oliveira sob supervisão de Pedro Henrique Santiago




Deixe seu comentário: