Tocando Agora:Rede Piauí de Notícias
Pedro H. Santiago EDITOR CHEFE (86) 98882-0261
Anderson Soares COMERCIAL (86) 99965-4448
WhatsApp CONTATO/SUGESTÕES (86) 99860-1464
Geral Por: Pedro H. Santiago Repórter 25 Fev 2018 19:44 Rede Piauí de Notícias

Região Nordeste passa a monitorar seca e ciclo da estiagem

O objetivo do sistema é integrar o conhecimento técnico e científico já existente


O Nordeste conta com o Monitor de Secas para acompanhar o ciclo de estiagem e assim poder melhorar a política e a gestão dos ploblemas de escassez de chuva. O modelo de acompanhamento facilita a troca de informações.

O objetivo do sistema é integrar o conhecimento técnico e científico já existente, além de estabelecer os graus de serveridades da estiagem. As informações são atualizadas mensalmente, através de um aplicativo de celular. O sistema visa consolidar e fortalecer as diferentes informações sobre a seca na região.

Segundo a superintendente adjunta de Operações e Eventos Críticos da Agência Nacional de Águas, anterior à implantação do sistema. “Não havia muita possibilidade de integração das informações e compartilhamento dos dados”, recorda Ana Paula Fiorezi, superintendente adjunta de Operações e Eventos Críticos da Agência Nacional de Águas (ANA).

O equipamento usa os indicadores de secas que são consagradas em nível mundial, além de classificar a seca em níveis diferentes de gravidade. “Vai de situação sem seca ou de seca moderada até seca excepcional. Uma vez por mês são elaborados mapas que permitem uma comparação da evolução da seca na região”, explica a representante da agência.

Efeitos da seca no Piauí
Crédito: Gustavo Almeida - GP1

Com o instrumento é possível localizar as regiões em que estão sendo mais afetadas, além de conseguir traçar uma tendência de eloução da seca. “A resposta à seca não depende só da severidade do evento naquele determinado momento, mas de um acumulado de históricos porque uma coisa é você ter uma seca severa que persistia dois meses e outra que persistia há alguns anos”, complementa Ana Paula Fioreze.

Barragens do Piauí contam com novo sistema de monitoramento

O Piauí está ganhando um sistema de monitoramento diário de barragens que manda informações simultaneamente via aplicativo de celular. O trabalho é desenvolvido pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar).

A meta é até o fim de março, beneficiar, aproximadamente,  de 28 açudes do estado com o serviço. O sistema está sendo implantado em conjunto com a Agência Nacional de águas (ANA) e será feito a distribuição, neste mês de fevereiro, dos aparelhos celular que serão utilizados pelo observadores das barragens, é o que afirma Sônia Feitosa, responsável pela coordenação do sistema no Piauí. "O aplicativo para dispositivo móvel, desenvolvido pela Agência Nacional de Águas (ANA), está sendo implantado em todo o nordeste do país e vai dar suporte ao Sistema de Acompanhamento de Reservatórios (SAR), especialmente na região do Semiárido. As informações sobre o volume de águas de dez açudes do estado já estão sendo repassadas diariamente à ANA por este aplicativo de celular, que é seguro e eficaz”, informa a gerente de Hidrometeorologia da Semar, Sônia Feitosa, responsável pela coordenação do sistema no Piauí.

O sistema de monitoramento já foi implantado em algumas barragens piauienses como:  Mesa de Pedra, em Valença; Pedra Redonda, em Conceição do Canindé; Estreito, em Padre Marcos; Poço do Marruá, na cidade de Patos do Piauí; Bocaina, no município de Bocaina; Piaus, em São Julião; Barreiras, em Fronteiras; Cajazeiras, localizada em Pio IX; Ingazeiras, no município de Paulistana; e Salinas, em São Francisco do Piauí.

O planejamento é que até o fim de março, o sistema esteja disponível para os seguintes reservatórios: Barragem Algodões II, em Curimatá; Barragem Jenipapo, em São João do Piauí; Barragem Petrônio Portela, no município de São Raimundo Nonato; Poços, na cidade de Itaueira; Barragem Bonfim, em Bonfim do Piauí; Barragem Caracol, na cidade de Caracol; Barragem Malhadinha, em Dirceu Arcoverde; Barragem Nonato, no município de Dom Inocêncio; Cacimba, em Campinas do Piauí; Barragem Caldeirão, em Piripiri; Barragem Corredores, na cidade de Campo Maior; Barragem Piracuruca, em Piracuruca; Bezerros, em José de Freitas; Emparedado, em Campo Maior; Joana, em Pedro II; São Vicente, em São Miguel do Tapuio; Taboquinha, em Beneditinos; e Barragem Anajás, no município de Piripiri.



Deixe seu comentário: