Pedro H. Santiago EDITOR CHEFE (86) 98882-0261
Anderson Soares COMERCIAL (86) 99965-4448
WhatsApp CONTATO/SUGESTÕES (86) 99860-1464
Tecnologia e Inovação Por: Redação Rede Piauí Repórter 14 Mar 2018 17:20 Rede Piauí de Notícias

Cerca de 30% das Startups não conseguem se manter no mercado

A dificuldade de acesso a capital e obstáculos para entrar no mercado estão entre os principais motivos


Cerca de 30% das startups analisadas em pesquisa  fecharam as portas em curto período de tempo. Estudo foi realizado pelo  Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. 

Algumas empresas foram entrevistadas e mostraram como principal motivo para o fechamento a dificuldade de acesso a capital (40%), obstáculos para entrar no mercado (16%) e divergências entre os sócios (12%). Essa pesquisa foi realizado com empresas participantes do programa Inovativa Brasil, do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, que promove ações de assistência e capacitação. Foram ouvidas 1.044 companhias, principalmente de Tecnologia da Informação e da Comunicação (31%), Desenvolvimento de Software (21%) e Serviços (18%).

O Analista Técnico do SEBRAE/PI, Samuel Moraes de Melo, aponta alguns fatores que mais influenciam para que os empreendedores desistam de sua Startup. “ter pouco conhecimento e aplicabilidade em marketing e vendas, não saber como gerir um negócio, ser apaixonado demais pela ideia, não fazer um validação do modelo de negócio de forma apropriada e não se dedicar integralmente ao empreendimento ficando dividido entre seu emprego e a empresa. Nesse último caso o empreendedor na maioria das vezes não consegue conciliar a rotina de dupla jornada e dá prioridade ao emprego formal.  Na maioria das vezes um desses fatores leva ao fechamento de uma startup”. Pontua o analista.

Para o empresário Gabriel Freitas, empreendedor do ramo, a maioria das startups não ouvem corretamente os clientes, para entender as suas necessidades e conhecer os problemas. “Em geral elas (startups) não pesquisam o suficiente para entender de fato qual o problema a ser resolvido. Isso, muitas vezes, ocorre porque os empreendedores já tem uma ideia ou se inspiram em ideias que deram certo em outros lugares, e simplesmente querem copiar exatamente igual, ou então “valida” a ideia apenas com pessoas próximas que vão dizer que a ideia é boa. Também é comum ver o apego dessas pessoas a “ideia milionária” delas, e não estarem abertas a críticas e sugestões. Uma ideia realmente boa é aquela que tem cliente que compre de fato”. Comentou o empresário.

Embora algumas empresas tenham encontrado dificuldades para se posicionar no mercado, outras vêm se destacando, Gabriel Morais, conta sua experiência e seu novo projeto. “Abri a startup em Setembro de 2017, e fui para um evento em Lisboa em novembro de 2017 já visando o projeto internacional, um novo projeto baseado em inovação e tecnologia de ponta, estamos trabalhando com Inteligência Artificial e chatbots (robôs que você pode conversar com ele e ele fazer determinadas ações). E essa startup nova (BluBots) tem foco internacional. É algo bem novo e agora que estamos de fato começando a colher frutos. Em agosto eu tomei a decisão de sair e facilitou montar o projeto no formato internacional". finalizou 

Veja dados do Piauí

Faturamento de 20 empresas de Teresina acompanhadas por projetos do Sebrae. Antes e depois da implementação das ações orientadas pelo Sebrae.

. 2012 - (R$349.334,40)
. 2013 - (R$575.873,86) aumento de 64,85% 
. 2014 - (R$811.407,47) aumento de 132,27%
. 1362 CNPJS mapeados no Piauí relativos a atividades de tecnologia.  Fonte: Receita Federal 2014.

Os 3 pólos principais devida a quantidade de empresas são: Teresina, Picos, Parnaíba
As maiores potencialidades: Portais, Suporte Técnico, Desenvolvimento de Software e Web.

*Reportagem Danielly Duarte sob supervisão de Pedro Henrique Santigo



Deixe seu comentário:





Tocando Agora:Rede Piauí de Notícias