Tocando Agora:Rede Piauí de Notícias
Redação Rede Piauí EDITOR CHEFE
Anderson Soares COMERCIAL
WhatsApp EXPEDIENTE/FALE (86) 99494-2468
Economia Por: Pedro H. Santiago Repórter 01 Jun 2018 16:10 Rede Piauí de Notícias

Caixa deve liberar R$ 1 bi para programas de habitação no Piauí

Nelson Antônio Souza, presidente da Caixa Econômica Federal, disse que o banco estatal baixou as taxas de juros e aumentou a cota de imóveis usados para 70%


O presidente da Caixa Econômica Federal, Nelson Antônio Souza, está no Piauí cumprindo agenda e garantiu que o estado receberá um investimento na casa de R$ 1 bilhão destinados à habitação. Ele garantiu, em entrevista à TV Cidade Verde, que os recursos serão utilizados por empresas e pessoas físicas para o financiamento de imóveis.

Souza disse que o banco estatal baixou as taxas de juros e creceu a cota de imóveis usados para 70%, o que pode ser um atrativo a mais para o financiador. Temos demanda e taxas de juros competitivas. O prazo de financiamento pode chegar a 35 anos. Acredito que esse 1 bilhão serão consumidos rapidamente", disse.

Presidente da Caixa
Em entrevista ao jornal da TV Cidade Verde / Crédito: Reprodução - TV Cidade Verde

O presidente da Caixa disse acreditar que o setor de habitação é um dos que pode alavancar a situação de desemprego no país porque é um dos setores que mais emprega. "Tanto a habitação de mercado, com a fonte de recurso a poupança, como a popular com a fonte de recurso o FGTS. É o setor que mais gera emprego e renda. A Caixa tem 69% do mercado imobiliário brasileiro. Somente para 2018 nós temos R$ 85 bilhões só para habitação, podendo chegar a R$ 100 bilhões”, afirmou.

Novela Empréstimos

Quando perguntado sobre a "novela" dos empréstimos oriundos dos Programas Finisa 1 e 2, o presidente da Caixa garantiu que tudo está sendo trabalhado dentro de uma realidade cronogramática do banco. "No Finisa 1 liberamos 307 milhões, esse precisaria ter a prestação de contas como qualquer outro contrato. Só que nesse intervalo foi contratato o Finisa 2 e como a prestação de contas do primeiro está em andamento, vinculou-se que um contrato tinha a ver com o outro. Isso subiu ao STF e o ministro Facchin acionou a Caixa e a conclusão dele é que não existia vinculação do 1 ou com 2", explicou.

Com informações TV Cidade Verde




Deixe seu comentário: