Tocando Agora:Rede Piauí de Notícias
Redação Rede Piauí EDITOR CHEFE
Anderson Soares COMERCIAL
WhatsApp CONTATO/SUGESTÕES (86) 99860-1464
Eleições 2018 Por: Redação Rede Piauí Repórter 10 Out 2018 13:07 Rede Piauí de Notícias

Haddad diz que vai até enfermaria debater com Bolsonaro se for preciso

Equipe médica de Bolsonaro ainda não o autorizou a participar de atos de campanha.


O candidato à presidência da República, Jail Bolsonaro (PSL), não deverá participar de atos de campanha nas ruas e nem de debates eleitorais na televisão, de acordo com orientações médicas enquanto se recupera de cirurgia. O primeiro debate estava marcado para acontecer nesta quinta-feira (11), na Band.

"Por enquanto ele não está liberado [para eventos de campanha]. Não sei a respeito do debate, sei que na quinta-feira [dia 18] ele estará conosco no [Hospital Albert] Einstein", disse Luiz Macedo, cirurgião da equipe médica de Bolsonaro.

O cadidato à Presidência do PSL, Jair Bolsonaro

 Equipe médica de Bolsonaro ainda não o autorizou a participar de atos de campanha. (Foto: Estadão)

Enquanto a equipe médica falava com a imprensa na porta da casa de Bolsonaro, Fernando Haddad concedia entrevista coletiva para veículos estrangeiros. Ele criticou o fato de Bolsonaro não comparecer ao evento e disse que "irá na enfermaria em que ele estiver" para "debater o Brasil". "Eu vou até uma enfermaria, na boa, fazer o debate porque nós temos que passar a limpo muita coisa", disse o petista a jornalistas estrangeiros em São Paulo.

"Os brasileiros precisam saber a verdade sobre as coisas. Se tem fake news, vamos tratar isso como adultos. Eu não tenho problema em tratar nenhum tema, mas vamos tratar de forma adulta e não fazendo criancice na internet, contando com a boa-fé das pessoas. Muita gente acredita no que recebe no WhatsApp, e no WhatsApp você não tem contraditório, no debate você tem", continuou o petista.

Haddad

 Haddad diz que vai até enfermaria debater com Bolsonaro se for preciso.

Bolsonaro não foi o único alvo de críticas de Haddad, que também mencionou Paulo Guedes, já indicado como ministro da Fazenda do candidato do PSL. "A política do Paulo Guedes é aprofundar a agenda Temer. É o Temer piorado", disse Haddad.

O petista reafirmou que não haverá banqueiro no ministério da Fazenda em um eventual governo seu. "Tem que ser alguém comprometido com a produção, com a geração de empregos. E não com o lucro fácil que os bancos têm no Brasil".

Com informações de UOL.



Deixe seu comentário: