Tocando Agora:Rede Piauí de Notícias
Redação Rede Piauí EDITOR CHEFE
Anderson Soares COMERCIAL
WhatsApp EXPEDIENTE/FALE (86) 99494-2468
Geral Por: Redação Rede Piauí Repórter 18 Set 2018 09:58 Rede Piauí de Notícias

Prefeito de Amarante é denunciado por sonegação previdenciária

A denúncia é referente a supostas irregularidades na retenção de INSS e Imposto de Renda dos prestadores de serviços de Amarante, no exercício de 2017.


O vereador Professor Rudyfran (PSD) denunciou o prefeito de Amarante, Diego Teixeira (Progressistas), ao Tribunal de Contas do Piauí. A denúncia é referente a supostas irregularidades na retenção de INSS e Imposto de Renda dos prestadores de serviços de Amarante, no exercício de 2017.

Prefeito Diego Teixeira

Prefeito de Amarante, Deigo Teixeira. 

O Professor Rudyfran anexou alguns documentos ao processo. Ele tenta comprovar que o prefeito de Amarante, como tomador do serviço, não contribuiu 20% sobre total das remunerações pagas ou creditadas a qualquer título, aos segurados contribuintes individuais que lhe prestaram serviços. O prefeito também não teria retido a porcentagem a ser repassada à Receita Federal dos prestadores de serviço, o que, segundo o denunciante, acarretou prejuízo aos cofres públicos municipais, gerando possível ato de improbidade administrativa.

Sobre o imposto de renda, o denunciante argumentou que os pagamentos realizados a pessoas físicas decorrentes de rendimentos do trabalho assalariado, não assalariado, aluguéis, e outros não enquadrados na condição de isentos ou não tributáveis, devem ser objeto de retenção. 

O vereador solicitou que seja identificado eventual crime contra a ordem tributária e sonegação de contribuição previdenciária. Ele pediu, também, que após o resultado da análise sobre os fatos apontados, seja encaminhado relatório ao Ministério Público Federal para que apure eventual conduta delituosa. Quer, ainda, que o Ministério Público Estadual apure o atos de improbidade administrativa, “uma vez que a conduta do gestor irá prejuízos futuros aos cofres municipais”.

O processo foi encaminhado à Diretoria de Fiscalização da Administração Municipal (DFAM) para verificação técnica do caso.

Com informações de Viagora.




Deixe seu comentário: