A Câmara Setorial do Leite e Derivados

A estimativa atual é de uma produção diária de 80 mil litros de leite em todo o Piauí

Última atualização: 11 Jan 2019 - 21:43   


SÉRGIO LUIZ DE OLIVEIRA VILELA
PhD em Ciências Sociais e Pesquisador da Embrapa

O Estado do Piauí já foi um grande produtor de leite. Há algumas décadas, a produção ocorria em quantidades significativas em varias regiões do Estado. Em um passado não tão distante, podiam ser encontrados grandes laticínios em Picos, Oeiras, Teresina, Parnaíba. Na atualidade, os laticínios concentram-se em Parnaiba e Teresina. A produção de leite, seguindo os rastros dos laticínios, atualmente, está concentrada na região norte do Estado nos territórios dos Cocais, Carnaubais e Planície Litorânea, principalmente nos municípios de São José do Divino, Caraubas e Parnaíba. A estimativa atual é de uma produção diária de 80 mil litros de leite em todo o Estado, contra um consumo também diário de 800 mil litros.

Camara Setorial do Leite

A Câmara Setorial do Leite e Derivados definiu um conjunto de prioridades a serem implementadas visando o aumento da produção e da produtividade do leite, a redução do custo de produção e a preservação da sanidade animal. Dentre as prioridades estão: a inscrição do Estado do Piauí no Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI-POA); realização de campanhas de vacinação do rebanho bovino leiteiro contra tuberculose e brucelose; realização de um diagnóstico da cadeia produtiva do leite no Estado; incremento e aperfeiçoamento do serviço de assistência técnica aos produtores; apoio e incentivo para a implantação da energia solar para irrigação de pastos, entre outras.

Infelizmente, muito pouco foi feito em relação a estas reivindicações até o momento. O setor leiteiro enfrenta uma grave crise com restrições na demanda e rebaixamento do preço ao produtor. Muito pouco foi feito para amenizar os efeitos desta crise tendo em vista que o Estado também passa por uma grave crise fiscal, com possibilidades reduzidas de aporte de recursos financeiros. Ações estratégicas e de longo prazo precisam ser implementadas para que as crises, que são cíclicas, sejam mitigadas. A câmara setorial tem sido um instrumento de proposição, vigilância e cobrança para que um programa estadual de apoio ao desenvolvimento da cadeia produtiva do leite e derivados seja implementado e isto é decisivo para que os avanços ocorram. Até agora foram tímidas as conquistas, mas a persistência é fundamental para que elas ocorram.

A novidade que vem entusiasmando o setor leiteiro é que já está com as obras iniciadas, na cidade de Piracuruca, a construção do primeiro laticínio de leite UHT (longa vida) do Piauí. A população do Estado consome, atualmente, em torno de 300 mil litros de leite UHT diariamente. Todo este volume é fornecido por 15 diferentes marcas, todas situadas fora do Estado. A implantação do novo laticínio de leite UHT, em Piracuruca, com início de funcionamento previsto para o primeiro semestre de 2019, demandará à bacia leiteira estadual um volume adicional de 40 mil litros de leite diários. Certamente, este fato é extremamente relevante para o setor leiteiro estadual e coloca a necessidade de ações de apoio, por parte do Estado para que os produtores consigam elevar sua produção através do aumento da produtividade e também do aumento do número de produtores, principalmente na região norte do Estado. 

Novos desafios e novas perspectivas que colocam uma relevância ainda maior para a existência e fortalecimento da Câmara Setorial do Leite e Derivados.