A Câmara Setorial dos Vestuários, Calçados e Acessórios

São muitos os desafios para este setor que atravessa uma grave crise no Piauí.

Última atualização: 18 Jan 2019 - 18:38   


Um dos setores que mais geram postos de trabalho em todo o país, o setor de vestuário, calçados e acessórios, atravessa uma grave crise no Estado do Piauí. Alguns estados nordestinos, com destaque para Pernambuco, implementaram uma forte dinâmica neste setor, criando novos produtos mais acessíveis às classes menos favorecidas e fomentando a atividade através de políticas públicas adequadas. Os estados que desenvolveram estas iniciativas tornaram-se exportadores para o restante dos estados do Nordeste e para os do Norte do País. Um dos que mais sentiram o impacto foi o Piauí, dada a obsolescência tecnológica e de processos gerenciais remanescentes neste setor no nosso Estado.

O setor de moda atravessa uma grave crise no Piauí.



Este cenário favoreceu a chegada de empresas pernambucanas e cearenses ao Piauí, que passaram a concorrer com as empresas locais provocando significativas consequências negativas para os empresários locais. Diante desta realidade, a câmara setorial dos vestuários, calçados e acessórios tornou-se um fórum de debates e análises setoriais capaz de identificar e repensar estratégias de superação do quadro atual. Empresas, entidades representativas do setor, entidades do “terceiro setor”, instituições governamentais e Instituições de ensino e pesquisa públicas e privadas passaram a elaborar e propor estratégias que visam uma atualização dos processos tecnológicos, bem como parcerias público-privadas que contribuam para a geração de uma nova realidade no âmbito deste setor no Estado do Piauí.

As principais prioridades elencadas foram: a reestruturação e profissionalização do shopping Piauí Center Moda, localizado na zona sul do Estado; combate à entrada de produtos clandestinos no Estado; imposição de pauta para produtos importados de outros estados; e a realização de ações de capacitação dos empresários e colaboradores visando à atualização tecnológica e de processos de gestão empresarial. Dentre estas quatro prioridades, a principal tem sido a reestruturação física e e administrativa do Piauí Center Moda. Após esforços e entendimentos, o governo do Estado retomou a gestão do referido espaço e deflagrou um processo de concessão para a iniciativa privada, através de licitação. A conclusão do processo de concessão está previsto para o final do ano de 2018, quando uma empresa ou consórcio de empresas privadas assumirá a gestão e iniciará um amplo processo de reestruturação do equipamento visando modernizar e criar condições atraentes para lojistas e consumidores. Espera-se uma completa transformação da estrutura e a implementação de ações que resgatem os consumidores varejistas e atacadistas piauienses para que busquem as lojas de fábrica instaladas no Piauí Center Moda, obtendo melhores condições de aquisição e consumo de vestuários, calçados e confecções desenvolvidos localmente.

No que tange aos outros itens reivindicados, há, ainda, a necessidade de elaboração de um amplo programa de capacitação, com envolvimento multi institucional, que objetive preparar os principais atores setoriais para a nova realidade da indústria dos vestuários, calçados e acessórios. Esforços individuais estão em curso na UFPI, Uninovafapi, Sebrae e Senai.

Já os aspectos fiscais e tributários demandados estão em estudo na Secretaria de Estado da Fazenda, onde faz-se necessário o desenvolvimento de ferramentas e processos capazes de reprimir a entrada clandestina, no Estado do Piauí, de produtos que também são fabricados localmente. Já o estabelecimento de pautas para a entrada,
Ainda que legal destes produtos, continua a depender do desenvolvimento de processos de identificação e cobrança que não impactam negativamente sobre os consumidores locais.

O que julgo essencial destacar é o papel que tem cumprido a câmara setorial, reunindo lideranças setoriais, profissionais liberais e o poder público com o objetivo de encontrar soluções e definir parcerias que contribuam para resgatar a autoestima dos empresários e promover o desenvolvimento deste importante setor da economia Estadual.